sexta-feira, 31 de maio de 2013

EVENTO: A Noite Árabe, entre as comemorações do Ano da Alemanha no Brasil, no Instituto Goethe

NOITE ÁRABE de Roland Schimmelpfenning foi o texto escolhido para o Concurso Novos Diretores, lançado pela Secretaria Municipal de Cultura e Instituto Goethe de Porto Alegre, que na sua 4ª edição contemplou a proposta do diretor Alexandre Dill, por meio do Grupo Jogo. O texto escrito em 2001 já foi encenado em vários países, mas esta é a primeira montagem no Brasil para este texto. A estreia está marcada para o dia 07 de junho no Auditório do Instituto Goethe de Porto Alegre dentro das comemorações do Ano da Alemanha no Brasil.

A segunda temporada acontecerá entre os dias 05 e 14 de julho sextas, sábados e domingos às 20 horas, com entrada gratuita e distribuição de senhas uma hora antes do espetáculo, na sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues.

NOITE ÁRABE
1 temporada: De 07 a 23 de Junho, às 20h, no Auditório do Instituto Goethe (Rua 24 de outubro, 112)
2ª temporada: De 05 a 14 de Julho, às 20h, na Sala Alvaro Moreyra (Av. Erico Veríssimo, 307)
ENTRADA FRANCA.

ESPETÁCULO

A Noite Árabe é um texto dramatúrgico que apresenta uma forma peculiar de expressar as sensações mais ocultas de relações cotidianas simples, que poderiam ser vistas ou vivenciadas em qualquer cidade ou conjunto habitacional da sociedade contemporânea.

A velocidade do nosso pensamento e do desencadear de situações a que estamos expostos diariamente é uma característica que se evidencia na atualidade, e o texto de Roland Schimmelpfennig parece buscar uma aproximação de sua linguagem com estes novos padrões de convívio e inter-relação dos indivíduos. Elementos que interagem num cruzamento frenético de desejos, pensamentos, sonhos, dúvidas e lembranças. Elementos presentes na nossa relação consciente e inconsciente com o outro e com os espaços físicos por onde passamos. Interações que acontecem numa quantidade e aceleração que possuem força própria para mover os indivíduos para diferentes direções.

E é a partir destas interações voluntárias e/ou involuntárias que os personagens de A Noite Árabe transitam física ou imaginariamente por um espaço tomado pelo forte verão, pelas surpreendentes lembranças e pelo insustentável desejo de não controlar o desejo, de levar-se e ser levado, de romper a sequência cansativa de ações que se repetem diariamente naquele lugar. Esta encenação do texto A NOITE ÁRABE apresenta um espetáculo multimidiático, completamente integrado ao cenário e às imagens, experimentando o limite entre cinema e teatro e buscando construir uma conexão entre linguagens.

SINOPSE

A NOITE ÁRABE cria uma conexão entre a fantasia e a realidade, na noite mais quente do ano. Uma noite de verão, quente e suada, em um edifício no meio de uma cidade qualquer. Como todas as noites, Fátima deve esperar Francisca, em seu apartamento. Ela é companheira do quarto 7-32, e depois que Fátima adormecer, ela ligará para Khalil vir lhe visitar. Mas no chuveiro, Francisca começa a não mais lembrar o que fez no seu dia. Karpatti vê de sua janela o banho de sua vizinha e pensa como seria abraçá-la. Como o porteiro Silveira, que quer saber, em seu porão, por que a água não sobe além do sétimo andar. Duas mulheres, três homens e um edifício residencial. Muitos átomos cruzando e colidindo desesperadamente, tentando anexar os seus desejos, sua solidão e semear seus destinos menos anônimos.

GRUPO JOGO 

Surgiu a partir dos estudos feitos na formação de atores da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nòis Aqui Traveiz, na cidade de Porto Alegre – RS, em julho de 2007. Neste período foram realizados experimentos e estudos sobre tragédia grega, com orientação da Prof. Dra. Paulina T. Nólibus. Este trabalho teve continuidade após a conclusão da formação por parte dos atores, agregando outros intérpretes ao processo de criação e experimentação cênica. 

Em 2009, participou do 11º Festival Pedritense de Teatro – RS com o espetáculo ‘Fenícias’, recebendo indicações para sua Maquiagem, Trilha Sonora, Iluminação, Cenário, Ator Coadjuvante, e conquistando os prêmios de Figurino, Atriz e Espetáculo do Júri Oficial. Com este mesmo trabalho, realizou uma curta temporada como grupo convidado da sala 302 da Usina do Gasômetro de Porto Alegre, em outubro. Ainda em 2009, foi contemplado com o edital público de ocupação dos teatros municipais de Porto Alegre para temporada com o espetáculo ‘Play-Beckett’, a qual foi realizada no mês de dezembro. Com as apresentações deste espetáculo, recebeu o Prêmio Açorianos 2009 de Melhor Iluminação em Dança, prêmio que valoriza os melhores espetáculos apresentados no ano em Porto Alegre.

No terceiro ano de atividade realizaram-se 2 temporadas de 12 apresentações dos espetáculos ‘Fenícias’ e ‘Play-Beckett’ no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mário Quintana, também através de edital público. Em 2010, ‘Play-Beckett’ ainda fez a abertura do Festival de Teatro Independente de Santa Maria – FETISM, recebeu os prêmios de Melhor Coreografia, Figurino, Iluminação e Trilha Sonora no 1º Prêmio de Criação Coreográfica de São Leopoldo – RS, além de concorrer ao 5º Prêmio Braskem em Cena, dentro do 17º Porto Alegre em Cena, festival internacional da capital gaúcha.

Em 2012, produziu a 3ª edição do Workshop ‘Jogos de Linguagem’ e os espetáculos ‘RockHamlet’ e ‘PopHamlet’, investigações cênico-musicais criadas em parceria com o coletivo de grupos do Projeto Geração Máquina. Realizou sua primeira circulação nacional de ‘Play-Beckett’, apresentado em Recife dentro do Festival Palco Giratório do SESC. Em dezembro deste mesmo ano estreou ‘Fauno’, espetáculo que celebrou os 100 anos da marcante obra do coreógrafo Vaslav Nijinsky e os 5 anos de trabalho contínuo do GRUPOJOGO. A temporada de 4 apresentações deste espetáculo rendeu ao grupo 8 indicações ao Prêmio Açorianos de Dança, incluindo Melhor Espetáculo, Coreografia, Bailarino, Iluminação, Figurino e Produção, e ainda os prêmios de Melhor Direção e Cenografia do Ano. No início de 2013 o grupo foi contemplado com seu primeiro prêmio para montagem, o Prêmio Novos Diretores, do Instituto Goethe e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Através deste projeto o grupo está produzindo o espetáculo A Noite Árabe.

FICHA TÉCNICA 

Intérpretes JOÃO PEDRO MADUREIRA, THAINÁ GALLO, EMANUELE DE MENEZES, IGOR PRETTO E GABRIEL FACCINI

Assistente de direção FILIPPI MAZUTTI | iluminação IGOR PRETTO | cenário BRUNO SALVATERRA trilha sonora original PEDRO ERNESTO PETRACCO | figurino FABRIZIO RODRIGUES | preparação vocal LÍGIA MOTTA | direção de fotografia e vídeo GABRIEL FACCINI E PEDRO HENRIQUE RISSE | operação de vídeo JONAS BARROS | arte gráfica LUIZA MENDONÇA | produção PALCO ABERTO PRODUTORA | realização INSTITUTO GOETHE PORTO ALEGRE E SECRETARIA DE C ULTURA DE PORTO ALEGRE

Um comentário:

  1. faltou a direção na ficha técnica. abraço

    ResponderExcluir

Comente aqui